RELATOS ANO 2011

Relato recebido em 17 de dezembro de 2011

Ajuda-me a sofrer. Como alguém pode me ajudar a sofrer? Tanto sofrimento e saber que fui orientado por alguém para sofrer. Eu não sei o que é sofrimento, eu sei o que é sofrer. Sofri muito, te digo, mas não entendo como alguém sabe o que seja sofrimento para ajudar alguém a sofrer.
Pai de infinita bondade, ajuda-me a entender e mostrar para essas pessoas que existe felicidade. Sofrimento é passageiro, não pode alguém sofrer por querer.

 
Relato recebido em 17 de dezembro de 2011

Do lugar que eu vim, só me traz coisas boas, do lugar que vim só me restam saudades. Há muitas coisas boas para amar, muitos lugares bons para andar, pena que poucas pessoas podem estar lá.
Existe um lugar onde todos encontram a paz, o amor, a compreensão tão esperada do amor ao próximo. Aquele céu maravilhoso que vocês todos sonham, eu já estive lá e, não há lugar melhor no mundo para ficar.
Agradeçam meus irmãos pelo estudo, agradeçam por estarem no caminho de aprender, do amor ao próximo. É lá que vocês vão me encontrar e juntos teremos um bom lugar para ficar.
Adeus, paz aos que ficam.

Relato recebido em 17 de dezembro de 2011

Julieta, onde estás esse tempo todo,  não consigo parar de te procurar e não sei mais onde te encontrar. Eu sinto o desespero tomar conta do meu corpo por tanta distância. Sinto vontade de chorar, gritar. Alguém me ajude, pois a saudade é demais. Aonde estás agora, estará feliz, será que tudo isso não foi por culpa minha? Me ajuda, Julieta, sofro demais, mas não sei onde te encontrar. O que vou fazer? Me ajude!


Relato recebido em 26 de novembro de 2011

Nunca pensei que morrer fosse tão doloroso, ainda mais quando a morte fosse planejada. Peço que alguém aqui onde estou possa me fazer suportar a dor de morrer por algo que nunca levaria, ou melhor,  traria a verdade.
Só peço, me ajudem.
Um irmão.

Relato recebido em 26 de novembro de 2011
 
Tudo é novo para mim aqui. Tô falando arrastado, minha língua pesa para falar. As pessoas não entendem direito, a minha dificuldade que é muito grande em tudo desse lado. Parece que sou um gigante.
Não me aceitava como era na última vez que estive entre vocês aí na Terra. Eu era estranho e sempre taxado como esquisito pelos que me arcavam, por causa da minha deficiência e do meu aspecto físico. Mas, eu cumpri com meu papel aí na Terra e hoje só tenho a agradecer pela oportunidade que me foi dada de vir dessa forma.
Estou a cada dia aprendendo mais e a cada dia que tenho a oportunidade de me arrepender do que fiz e ao mesmo tempo ser grato pela nova chance, agora aprendo na escola do lado de cá, que se assemelha muito com as daí.
Obrigado pela oportunidade, irmãos.

Luis Gustavo

Relato recebido em 23 de novembro de 2011


Depois que passou tudo, nunca pensei que fosse respirar outra vez, depois de passar por tudo aquilo, pai!
Peço a Deus e agradeço por ter me ajudado, por ter me acordado para ver a verdade divina.
Agradeço a Deus e aos irmão que me ajudaram a superar tudo aquilo.


Gustavo



Relato recebido em 19 de novembro de 2011

Em respeito a ti minha cara irmã, hoje aqui escrevo, para esclarecer os motivos que nos levaram a cometer tantas coisas ruins.
Um nobre da cidade havia chegado e montado em seu cavalo perguntou por ti. Pra mim, aquela era uma oportunidade de conseguir o que tanto quis. Em minutos, plantei a idéia de me apoderar dos seus pertences e, quando vi, já estava com todo o seu dinheiro, achando que seria o mais esperto de todos. Engano meu. Percebi ao ver toda a minha família se destruir, ao ver que naquele momento escolhi trocar vocês por um mísero mil réis. Que adiantava aquele dinheiro pra ter um dia pra comer se toda nossa vida não se acabava ali. Acabei alimentando, também, a idéia que poderia prosseguir como meu pai. Mas, a vida me parou. E, num despertar de olhos não havia mais nada, nada do que eu tinha jogado fora com fervor, ainda existia. E não pude recobrar do começo, não pude recuperar nem fazer jus a tudo que tinha perdido. So pude esperar, recobrar de mim mesmo a minha existência tão mesquinha e ver que um novo mundo está para chegar e pobre fui eu em achar que aquilo era tudo. Grande tolice minha!
Agradeço a compreensão em me escutar.
De um pobre ateu,

Juvenas



Relato recebido em 19 de novembro de 2011

Hoje estou aqui para pedir preces, pedir amor, a esse pobre motor que tanto está cansado de sofrer, que tanto cansou de chorar e não mais nada a esperar. Pedir luz aos irmãos que assim como eu se encontram na esfera da humanidade em condições deploráveis.

Ajudem aos seus irmãos, ajudem àqueles que ao menos por sutileza se identificou a tristeza. Amanhã poderá ser qualquer um de vós que está aqui e acredite, meus irmãos não queiram experimentar o fracasso.

De alguém que experimenta a dor.

Tobias Antunes Medeiros 



Relato recebido em 19 de novembro de 2011

Socorro, me ajudem! Eu estou perdida, não queria mas fiz. Tá doendo muito, tenho frio.
Maninha, me perdoa, a culpa não foi sua.

Luzete



Relato recebido em 19 de novembro de 2011


Eu não sei bem o que me aconteceu naquela noite. Estava tão escuro que não percebi quem se aproximava de mim, parecia que tudo estava se desmoronando, o sol se apagou e as pessoas ao meu redor não tinham mais forma. Só havia desespero e dor e as pessoas que se encontravam comigo se enchiam de lamúrias, de uma tristeza tão ruim que, ainda hoje não sei explicar. É muito ruim se encontrar onde estou, onde a escuridão mata nossas almas carentes de amor e proteção ao próximo. Parece um filme de terror com tantas desgraças e coisas ruins que correm atrás de mim.

Estou aqui atrás de socorro, pois, não aguento mais tanto sofrer e não ter a quem buscar. Espero que essa ajuda chegue logo e que eu possa respirar os bons ares, outra vez.

Que Deus nos abençõe!



Relato recebido em 12 de novembro de 2011

Hoje eu vim aqui para dar meu testemunho e dizer que algumas coisas que ficaram para trás não podem ser esquecidas, pois o caminho por onde eu andei não se perdeu e as águas que atravessei encontram-se ainda banhadas com o meu suor. Se ainda me encontro aqui hoje, é para pedir perdão para os que ficaram e dizer que mais amados serão hoje do que foram antes.
Que a paz de Deus ilumine a todos que se fazem presentes aqui.



Relato recebido em 9 de novembro de 2011

Obrigado por terem me ajudado, irmãos.
Eu desconhecia este mundo. Pensava que morrendo acabava com tudo, resolvia os problemas, mas, logo que fui encontrado ao teto pendurado em uma corda vi um buraco negro, escuro, que só me chamava: louco, suicida, vem, vem, vem...
Quando cai, passei a ver que estava vivo... mas, fui ajudado. Hoje estou melhor, irei à outra cidade onde irei terminar meu tratamento. Apenas vim, para descansar, obrigado.

Gustavo Silva Guimarães

Segundo fomos informados pela espiritualidade responsável pelas tarefas do Grupo Enxugando Lágrimas, muitos espíritos são trazidos para nossa casa (espécie de pronto socorro do mundo espiritual), para em seguida, serem conduzidos às colonias de tratamento no mundo espiritual. Informação confirmada no relato acima.  

RELATOS MES DE OUTUBRO DE 2011 


Relato recebido em 05 de outubro de 2011

Parecemos juntos, mas, estamos separados por causa de um pequeno erro de comunicação. Foi só um acidente, me disseram, mas, porque tanta distância. Preciso chegar até ela, meu amor está sofrendo, sente minha falta, eu sei disso. 
Oh! Deus, por que foi acontecer isso logo comigo, preciso de ajuda, socorro!
Deixo a todos aqui um abraço, senti dias melhores que me ajudaram.
Peço com enorme satisfação a todos um carinho e ajuda em oração. Deixo um obrigado, amigos, porque sairei daqui para uma cidade melhor onde disseram que virei trabalhar e recomeçar minha vida.
Muito obrigado. 

Fabrício César



Relato recebido em 08 de outubro de 2011

Fico feliz de ter melhorado um pouco aqui. Estou partindo com um enfermeiro para outro lugar, mas peço que comuniquem minha mãe Raimunda Silva Santos, que estou bem vivo. Obrigado amigos, nunca pensei que poderia sair deste mundo de tormentos onde me encontrava, mas graças a Deus, consegui. Deixo um abraço à minha querida mãezinha.
João Felipe Silva Santos

RELATOS MES DE SETEMBRO DE 2011

Relato recebido em 24 de setembro de 2011

Já disse mas eles não me escutaram. Eu estou vivo, só que ninguém consegue me ver nem me ouvir, mas, tô aqui. Consigo andar, falar, ver. Só os que ficaram que não conseguem escutar. Os que vieram comigo conseguem conversar. 
Eu só queria saber, entender isso. Vim pra cá porque me disseram que eu ia ser escutado e que iriam me ajudar, mas, como se eu nem conheço ninguém aqui? E essa luz?
Me socorram, me ajudem, me salvem, por favor.

João Luiz
Relato recebido em 24 de setembro de 2011

Me ajudem. Preciso de ajuda. Sofro muito, não estou aguentando estes gritos, esses berros, por favor me ajudem. Eu prometo que vou mudar, eu prometo.
João Raimundo

Relato recebido em 14 de setembro de 2011

Eu caí, não sei se pulei, se me joguei. O certo é que caí, fui ao chão, vi tudo lá de cima do morro, vi como um ato, só não consegui ver o que tinha lá no fundo. Não sei se cheguei ao fim da queda. Só sei que caí e até hoje estava naquele vale, naquele lugar escuro, frio e cheio de bicho. Pude sentir tudo o que acontecia com meu corpo físico, cada dor, cada padecer e cada mordida dos bichos.
Hoje eu encontrei aqui, mas ainda meio entristecido. Não sei onde estou, nem que luz é essa que me achou.
Acho que gostei de ver a luz e de sentir o calor novamente. Agora meu corpo, acho que perdi.


João Emmanuel (restante do nome está ilegível)

RELATOS MES DE AGOSTO DE 2011

Relato recebido em 24 de agosto de 2011 

O lugar onde estou não é muito agradável, tento me levantar, fugir e sair daqui do frio, dos tormentos e das perseguições.
Peço a vós aqui presentes, irmãos, peço em prantos que me ajudem porque não aguento mais este lugar de ranger de dentes. 
Por favor, ajudem-me. Tento lembrar das orações que mainha me ensinou, mas não me recordo. Ajudem-me.


Lourdes Maria


Relato recebido em 6 de agosto de 2011 


Eu não entendo nada, não sei onde estou, sinto muitas dores, porém, tem uma equipe me ajudando.

Sou Sérgio Mulhões. Digam à minha família que ninguém teve culpa na barroada, o acidente era necessário, para o meu desencarne.

Só peço que continuem as preces, pois, necessito demais delas. Ainda não sei onde estou, só sei que sou bem tratado aqui, peço a todos que agradeçam a quem estiverem me ajudando e que continuem.


RELATOS MES DE JULHO DE 2011


Relato recebido em 02 de julho de 2011

Minha vida inteira foi só de agonia. Por favor, me ajudem! Eu não queria ter feito isso, mas não tive escolha. Minha família não entende meus motivos, mas, estava em pânico.
Me ajudem, por favor. Me ajudem!

Eunice Braga

Relato recebido em 02 de julho de 2011
Faço isto porque gosto, auxilio porque é meu dever. Eu escolhi isso aqui. Estou bem amparado e estudo muito. Pra ser sincero, nem sabia que havia escolas e grupos de estudo nesta seara. Pois há! E são muito bons, estou sanando todas as minhas dúvidas. Todos os meus questionamentos estão sendo respondidos numa linguagem que consigo entender.
Obrigado por me deixarem estar presente agora, aqui. Isso muito contribui para minha evolução neste plano.
Fiquem em paz, meus irmãos iluminados,
Adolfo José Mariano 


Relato recebido em 02 de julho de 2011

Caso vocês não saibam, eu me chamo José Adriano e moro aqui já faz algum tempo. Sabe, até que gosto desse lugar, só preciso que digam para a minha família que aqui é bem legal, muito iluminado e ventilado, não tem escuro, nem faz frio.
Fico contente em ter tido essa oportunidade, pois, sei que agora minha mamãe vai conseguir cormir direito já que desde que vim pra cá, ela só chora, chora. Já meu papai, parece ser forte, mas não é, isso é só pra ajudar minha mamãe.
Por favor, entreguem isso a eles.
Gosto muito desse lugar, cuidam muito bem de mim.
Fiquem com o Papai do Céu.



Relato recebido em 09 de julho de 2011

Boa tarde irmãos, está difícil aqui, sinto-me ainda um pouco enfraquecido mas precisava prestar esse depoimento de agradecimento.
Obrigado pelas vibrações e orações. Agradeço enormemente a irmã pelo empenho em me trazer aqui hoje. Em especial, para ela deixo meu abraço, mas agora tenho que me retirar, pois estou ficando fraco.

Obrigado
José Arimatéia

Relato recebido em 09 de julho de 2011

Eu já sabia que isso ia acontecer e que iria ser assim, meus irmãos. A morte é sim, uma coisa natural, irá acontecer com todos os encarnados, então, para que sentires medo? Só porque é uma passagem para o desconhecido, pois estudem para que possam aprender mais sobre ela. Eu aqui estou tendo essa oportunidade de estudar e estou sabendo aproveitá-la bem. Façam o mesmo, pois, a espiritualidade estará sempre no auxílio de quem precisa, basta acreditar!
Agradeço a oportunidade, fiquem em paz!

Luiz Figueiredo