CARTAS ANO 2012

Carta enviada em 24 de março de 2012


Que sabes que nada que falo aqui pudésseis entender, nestes vastos campos onde a aurora chega, vastos campos a cerrar a margem desse lugar.
Passo nesse pasto e identifico a alma alheia, a nuvem que nunca me incendeia no céu a brilhar.
Ó doce campo de lugar, o doce campo nesse luar, aterra cheira a lua bronzeia o encanto que vem lá do mar.
Porto do Cais, Portugal
Josepe










Andree Klendreecky


Irmão de luz sobrevém das terras distantes, Este lugar que te mostrei é o meu lugar. Sinto saudades das ruas belas, das avenidas e praças da minha Paris, onde lá estive, morei, minha pátria França.
Esse chafariz no meio desse retorno, costumava me sentar ali e admirar a paisagem, ora desenhava, ora estava sempre a pintar, a pernoitar nos vales que passei a chorar, diante das luzes fracas daquela cidade.
Ficava a admirar o lugar tão melancólico para se ficar.
Mas minha alma era tão bela pintada de artista que não queria voltar. Estava lá a ficar, naquela minha doce Paris, minha doce pátria, saudade veio a brilhar.











Dileto filho, sei que estais bem. porém vos peço que não briguem por herança.
O que é matéria deve ficar como matéria, apenas administre-a com sabedoria.
Conosco só trazemos os feitos desenvolvidos na pequena estadia terrena, este deve ser bem administrado, cultivado, multiplicado.
Filho, sei que é dificil compreenderes como que estas palavras saíram de seu pai, pos que enquanto estive aí, eu era muito ligado à matéria, não pensava em me desfazer de nada, mas para que você possa não passar pelas angustias que passei, é que venho pedir-te, não se mergulhe no dinheiro, pois no final de tudo nosso espírito sofre até compreendermos que não é nosso o que é matéria.
Deus o abençoe. Lembre-se que fui um coronel e que fiz muitas coisas inapropriadas e indevidas.






Carta enviada em 17 de março de 2012  

Lindos vales, montanhas, lindas flores que não tem como explicar a beleza e nem o perfume!
O ar tem um cheiro de coisa boa, a luz do dia é mais tênue e bela.
Aqui os sinos não badalam Às 5 horas avisando que tem missa na igreja da Matriz, mas vou as missas todos os dias.
Os padres não falam senão coisas boas e nos enchem de luz, uma divindade só. Não comungamos o Corpo de Cristo em uma Hóstia, mas em uma espécie de luz que adentra em nossa alma e nos enriquece e fortalece. Rezo por todos. Todo mundo na minha família é lindo e vai continuar assim.
Meus Deus, estive com o Aragão, mas estamos em colônias separadas, embora fazendo trabalhos semelhantes, ainda não posso estar ao seu lado, mas estamos bem e olhando por nossos filhos.
Muitas Saudades. Deus abençoe vocês minhas e meus filhos queridos e amados.
Quitéria Aragão


Carta enviada em 14 de março de 2012 

Sabe do que é que eu tenho mais saudade? de tocar uma boiada. Aquele gado todo, poeira subindo, cheiro de mato, que belezura!
Era tudo que eu sabia fazer. Tive pouco estudo, mas sabia muito bem quando meus bichinhos precisavam de ajuda. E quando nascia em bezerro? eita Sô! que coisa linda. Um dia quero voltar pra continuar a cuidar de vaca e boi.
Bom, estou bem e com certeza estou muito feliz. Quinca que bom pude ir visitar você. Vi que estar mais velho e que estar bem. Sinto saudades do nosso tempo de criança, que juntos a gente brincava na beira da barragem e no açude, posso lembrar mais ainda, quando pegava carreira dos cavalos que a gente mexia.
Meu amigo, agradeço a oportunidade de estar escrevendo estas palavras pra te dizer que ainda estou vivo, num parece interessante? Parece que eu morri mas estou vivinho do lado de cá.
Quinca, um dia você vai acordar e dizer que sonhou comigo e todo mundo vai lembrar desta carta.
Abraço, meu amigo.


José Lindalvo


Carta enviada em 10 de março de 2012

Lucas e  Isabela meus netinhos queridos, Deus os Abençoe.



Eu só estou aqui hoje para dizer pra vocês que estou atendendo o pedido de proteção que me fizeram .
Olhem a Vovó nunca ficou distante de vocês, viu? A vovó protege sim vocês de todo mal, sempre, não se preocupem, tudo fica bem..
Vovó vai fazer um pedido pra vocês dois, rezem sempre aquela oraçãozinha que fazíamos juntos pro anjo da guarda, certo?.


Deus abençoe.


Vovó Maria Antônia


Cartas enviadas em 25 de fevereiro de 2012


Estou sentindo um misto de alegria e euforia. Obrigada pela oportunidade de poder me expressar, de poder sentir a esperança de um reencontro.
Ai, como é maravilhosa a misericórdia divina. Beatriz estou bem. Poder-te falar, isto é, dizer que continuo viva é uma benção que só Deus pode nos proporcionar.
Fui embora e não pude me despedir, minha filha. Mas para que despedidas se continuo viva? Sim, dessa forma não fui embora, apenas estamos em lados diferentes.
Amo você sim, senhora! nunca diga que lhe abandonei, pois você sabe que não é verdade.
Olha, quando você pensa em mim e sente um arrepio, ou  um vento inexplicável, sou eu próximo de você. Nunca a abandonei.
menininha chocolate, doçura eterna da mamãe, um beijo grande, doce e fofo como algodão doce.


Rosineide




Cartas enviadas em 22 de fevereiro de 2012


Pai eu agora estou bem. Não se preocupe, sofri muito naquele lugar horrível. Sentia muito sua falta, mas o importante é que estou bem.
Pai graças a Deus... Qualquer dia irei lhe visitar, estou com saudade.
abraço de seu filho 


Leonardo Oliveira









Cartas enviadas em 17 de fevereiro de 2012


Muita dor na minha cabeça, acho que foi do tiro que dei no meu ouvido. Oh! não sei que desatino que me fez pender para este ato tresloucado. Ai estou todo ensanguentado, e não sei onde estou.
Se puderem me ajudem! Socorro, não tenho coragem de chamar por Deus, sou excomungado por este ato.
Laura, perdoe-me, fui fraco e acreditei no que me falaram a seu respeito, fiquei louco e queria lhe matar. Passei dias pensando como iria tirara sua vida e no final, não sei como pude realizar este ato infame contra mim mesmo. Perdoe-me, Perdoe-me.

Afonso






Olha o carro! Oh! meu Deus, esta foi a ultima coisa que me lembro de ter falado antes de tudo acontecer.
Quando acordei estava num hospital, mas não achava meu namorado e minha prima. Tive a notícia que todos nós havíamos morrido. Oh! Jesus eu vi o carro, eu via a luz em cima de nós e nada pude fazer.
Mãezinha, sinto saudades de todos vocês. Agradeço a oportunidade de hoje para vir dar noticias.
Foi tudo muito rápido.

Karoline Santiago






Eterno amor. Quanta saudade de você. Hoje pude vir até aqui para lhe dizer mais uma vez o quanto amo você, o quanto rezo para que fiques bem ai, enquanto não nos encontramos novamente.
Minha estrela, tenha paciência que logo estaremos unidos novamente. Eu tive a notícia que estou sendo preparado para ir ao seu encontro no seu desencarne.
Não tenha medo da morte, eu estarei ai para lhe amparar.

Seu eterno Antônio Rui
Fica bem meu eterno amor.



Cartas enviadas em 15 de fevereiro de 2012


Peço que me ajudem. Fiz minha mãe sofrer, com minha morte todos me xingam de ... morte consciente.


Rogério Aguiar







Eu José Venceslau , venho por meio desta pedir que todos de minha família me perdoem e agradeço as preces que fizeram para mim, pois me ajudaram a despertar com um pouco mais de facilidade.
Naquele momento do acidente tinha que acontecer. Obrigado por todos que colaboraram naquele momento que a paz esteja com todos, obrigada. As equipes de socorro dos hospitais tanto terrestres quanto espiritual. Sou grato agora e sempre.





Cartas enviadas em 11 de fevereiro de 2012

Rosinha minha filha estamos juntos. Eu e papai sempre falamos da doçura que é você.
Minha filha, tenha paciência e tudo vai ficar bem com você e sua família. O papai disse que você é uma bonequinha, que nunca cresceu e manda um beijo grande no seu coração.
Já vou, estou fazendo nossa sobrinha ficar muito emocionada. Beijo
Binu.
O despertar é um ato de caridade. Tem irmãos aqui próximo a cada momento de necessidade, para que não possamos sentir a falta de família, dos entes queridos que ai ficaram.
Eu já estou me recuperando com a certeza de logo poder retribuir os favores que me prestaram.
Tenha a certeza meu amor, que tudo o que juntos passamos ficou na sua memória. 
Para que possamos logo nos reencontrarmos não há de desanimar, ois o que na terra é anos, aqui é segundo de milésimos, logo nos encontraremos. Estou com saudade de todos mais o maior é de seu sorriso que logo que parti se trancou em chaves.
Raimundo, necessito que você viva, para que eu possa melhorar também. Te espero.
Necessito que você cuide de nossa família. O Pedro não  pode cuidar de tudo sozinho, ele necessita de suas opiniões. Melhore.

França.




É claro que dirigi esse poema para ti minha pobre filha. Esse seu filho não é mais aquele médico renomado de boa aparência em seu jaleco brando, de poucas lembranças. Hoje ele é uma criança saudável, cabeça erguida, olhos vivos, de uma sensatez que não podes imaginar.
Um belo moreno, alto, cabelos lisos que corre no vento, criança bonita, alegre, mais não estar mais aí, hoje vive em família pobre, ajudando uns e outros com sua sabedoria de outra vida, de outras encarnações.
Alegra-te por ele, por esse pequenino rapaz que hoje sofre, não por expiação, mas pelas vicissitudes da matéria que faz a todos sofrer. alegra-te pela nova oportunidade que ele recebeu de ser feliz. Ele hoje é um bom moço.
Antonio Mascarenhas e João Bosco



Mãezinha que sofre não chores mais, aqui as coisas mudaram e foram pra melhor.Sabe aquele problema que não tinha tamanho, aqui ele nem existe. Lembras o tanto que sofri com ele e hoje vejo que foi tudo coisas  da minha mente.
Aqui hoje sonho, sou feliz nesse vale encantado de luzes e alegria. E posso te ver e desejar pra você que tudo dê certo, que você possa  vencer pois a vitória estar ai, na sua mente, na sua frente.
Preta auxílio aos que precisam e vá em paz. Um dia nós chegaremos lá e nos reencontraremos.
De sua mociola, moicila, Danielle.



Mamãe não se preocupe não foi por culpa sua que naquele dia eu me engasguei com o leite que a senhora estava me dando.
Tudo foi muito rápido, logo me vi flutuando e senti-me leve. Vi quando a médica chegou e lhe disse que não podia mais fazer nada por mim e a senhora se jogou no chão de desespero e desalento, achando que tinha me matado.
Por um tempo vi meu pequeno corpo jogado na maca feia daquela assistência. Meu pai a chorar e minha avó em estado de choque.
Mas mãe estou bem e estou escrevendo com ajuda de uma tia aqui da escola que frequento na cidade onde moro agora. Ela me disse que eu podia falar que ela me ajudava e hoje estou aqui.
Muita saudade da senhora, do som do ser coração e do calor da sua respiração. Diga ao papai que eu o amo e adorava ver seu bigode engraçado a mexer quando falava comigo.
Vovó Eunice continue rezando por mim, suas rezinhas para mim são luz.
Amo todos vocês.
Lucas Daniel Schimit



Oh! Senhor quão maravilhoso sois vós. Eu naquele vale de fogo e foste me buscar.
Oh! Senhor Te peço perdão pela atitude que tive. Quão grande a minha ignorância e desamor para com tantos que me amavam. Hoje ainda sinto o fogo me queimar, meus olhos lacrimejar. Lacrimejando a minha indiferença, a minha ignorância.
Oh! Senhor perdão. Perdão, mil vezes perdão. Sei que esta dor de cabeça ainda vai viver comigo por muito tempo. 
Porém já estou compreendendo que tudo que fazemos tem uma causa e uma consequência, como fala-se aqui é a causa e o efeito. espero depois, quando eu tiver bem e puder reencarnar, não venha com esta dor de cabeça, pois é ingrata com meu juizo.
Hoje sei que tudo poderia ter sido diferente. Peço perdão a você, mãe. Sei que tudo poderia ser diferente. Te amo e ainda voltarei.
Voltarei em breve pois me disseram que tenho que voltar logo, pois ainda tenho que pagar o preço da minha imprudência.
Tia Cilia está me auxiliando e disse que não se preocupe. Até breve.
Sua fila Zizinha (10.10.1982)  


Carta enviada em 04 de fevereiro de 2012
Lyana minha filha, me perdoe. Tô sofrendo muito e aqui não tenho ajuda onde encontrar. Peça sua mãe que me perdoe, pois preciso muito sair deste lugar, tá muito escuro aqui e as trevas só vem me devorar.
Sinto dor, fome, frio e o que faço para alguém me ajudar. Rezem por mim na sua igreja, na sua casa, reze por mim, aqui tá difícil de mim, aqui tá difícil de ficar.
Não sei mais onde me encontrar, só há desespero neste lugar que me encontro. Não tem pra fazer aqui a não ser desse lugar. Adeus, me ajudem.
Carta enviada em 04 de fevereiro de 2012
Na mata selvagem de um belo horizonte podia se ver a sua casa, era linda com cores ternas que molhavam o chão com sua ternura, pois ali envolvia tudo que estava em volta, via tudo que estava em volta, parecia que estávamos todos os ali em perfeita harmonia desenhando num papel como uma belíssima pintura.
Eu era um bicho do mato ali a olhar atrás de uma moita, não entendia muito a beleza do lugar. Não entendia muito que as vezes há coisas só para apreciar, que fazem parte dos planos de Deus, pois era lindo de se ver, lindo de se olhar.
Como fui tolo em não apreciar a beleza daquele lugar, a fera que tinha em mim não dava lugar, tinha que destruir, tinha que demonstrar que estava ali para ficar, queria que sentissem meu olhar, na terra escuro, no medo transparente que envolvia ao luar. E fui lá estragar a beleza daquele lugar com minhas garras e com sangues e o que era bonito de se olhar, tornou-se desespero no lugar e como eu achava aquilo tudo bonito e certo, transformar em tragédia aqueles que tinham vida tão fácil. É difícil de lembrar a dor imensa que causei naquele lugar, sete filhos, uma família e tudo se perdeu, e hoje sou eu que não encontro os meus.
Josepe Coristano

Carta enviada em 04 de fevereiro de 2012
Oi mãe, estou bem agora. Estou em um hospital? É... parece.
Mãe, vim aqui hoje para lhe pedir desculpas porque fiz, sei que errei, mais não sabia que estava fazendo. O gosto no momento era tão bom que me deixei levar e acabei indo por um caminho que quando quis voltar, não podia mais.
Meu corpo morto, seco querendo levantar e não conseguia apenas se desmanchando como gordura, óleo... Difícil de explicar.
Mas agora tô bem, tô melhor. Vindo para trabalhar. É o que estão me falando aqui, só peço mãe, não chore mais, por favor.
O Deus que você me falava tanto existe. Estou vivo. Abraço de seu filho
Maicon Araújo

Carta enviada em 04 de fevereiro de 2012
Obrigada meus irmãos socorristas. Obrigada a todos os encarnados que sem me conhecerem fizeram preces por mim. É um estado tão ruim. Você olhar a vida e não ter mais uma razão de viver, pois no nosso íntimo quando encarnados é que pequenas coisas são importantes, sem olhar que a vida é uma existência do poder da sabedoria para que possamos melhorar.
Obrigada pela oportunidade de agradecer a todos que inconsciente e sem saberem porquê, saem a socorrer irmãos necessitados como eu. Eu me suicidei por não encontrar o porquê. Hoje rogo a Deus que ajude a vocês que me encontraram. Estou me recuperando do desastre que causei a minha existência e pedindo que através de vossas orientações seja eu capaz de uma nova experiência.
Imploro que continuem mantendo este carro nas estradas, pois tantos iguais a mim ainda não sabem o que aconteceu.
Estou estudando e logo que melhore estou pedindo para retornar a este carro e auxiliar.
um irmão que está melhorando Carlos Cezário Feitosa, o Carlinhos.

Carta enviada em 04 de fevereiro de 2012
Mãezinha do meu coraçãozinho, ainda sinto saudades de todos ai da terra, foi uma das melhores situações que já vivi.
Eu bem sabia que viveria pouco, porém o pouco que viveria encheria todos vocês de amor e de harmonia, pois não podia mais existir tantas brigas entre as famílias de papai e a sua, mãezinha. Por isto reencarnei apenas para unir vocês em uma só família.
Amo a todos e esperem novos filhos. Vocês não estão só e saibam, nunca estarão, pois todos nós aqui da espiritualidade estamos emanando luzes sobre vocês.
A Bernadete está bem e nós duas estamos estudando e vendo coisas maravilhosas.
Eu vim só para lhe dizer que novo filho em benção está chegando, não tenha medo de recebê-lo, pois não vai acontecer com ele o que me aconteceu, poie ele é para mais tempo com vocês.
Enquanto eu e a Bernadete eramos apenas uma luz no final de um túnel que precisava reacender.
Diga a todos que até breve. Seu filho amado
Pedro Jorge

Carta enviada dia 1º de fevereiro de 2012

Ritinha, um dia temos que desligar nossas tomadas e partir para ver a face de Cristo, o Reino dos Céus.
Não senti minha morte. Foi como um liga e desliga de uma TV, quando me dei conta já não pertencia mais a este mundo.
Gostaria que você falasse para Tatiane e Rodrigo que estou bem, são anos na Terra e minutos aqui. Vejo-os sempre que posso. Estão lindos.
Fica com Deus minha amiga.
Maria José Silva


Cartas enviadas em 25 de janeiro de 2012

Comadre avisa pros meninos que eu estou bem. Ao seu compadre Chagas diga como estou feliz. Estou bem!
Sei que foi causado muito sofrimento com minha doença e minha partida. Mas são as leis divinas, Deus escolheu assim.
Sinto saudades sim, às vezes sofro, mas não posso pois sei que tem um bem maior envolvido, a felicidade de vocês.
Diga a Júlio que mamãe  te ama, estou te olhando no seu trabalho.  Aos meus meninos, muito pequenos, ainda, muita força. Chagas, Júlio já é um homem e escolheu o caminho dele, os outros não são, inclusive a Juliana, é uma menina. Se você visse ela como vejo daqui ia entender.
Só quero que vocês entendam que a mamãe está em paz e que todos aqui estão para ser feliz, inclusive o pai de vocês.
Eu amo muito cada um, Júlio, Julimar, Juliana e Juliano.

 


Cartas enviadas em 21 de janeiro de 2012

Carambolo,
Eu estou bem. Hoje posso dizer que as dores do meu corpo não existem mais, meu peito está sarado.
Aqui é uma espécie de hospital e logo, logo, vou para uma “vila” morar com a vovó.
Carambolo, a Tijubina aqui fica muito feliz quando vê você sorrir e ter força de vontade de crescer.
Minha dupla, meu irmão, fica em paz.

Lucas


 *     *    *

Hoje posso sentir o quanto é importante o amor de vocês. Sinto vibrações que me fortalecem e me animam.
Suzana, sua menina linda! Tenho saudades e por vezes sinto sua tristeza, mas tenha paciência, em breve nos encontraremos.
Minha partida foi na época certa e era necessário que eu voltasse cedo. Cedo para quem ficou, mas hoje vejo que não era assim.
Minha princesa tenha fé em Deus, procure ir pelos caminhos retos e mesmo que apareçam pedras e obstáculos, não tenha medo ou pense em desistir, se fortaleça em Deus. Tudo vai dar certo.
Nosso amor é eterno, te amo para sempre.

 
Seu eterno, Vicente.


*    *     *

No fundo você sabe que o que eu fiz foi por pura teimosia. Queria chamar a atenção e Bum! Aconteceu o que todos temiam, eu acabei com a minha vida. Não queria isso, mas não tive forças, fui fraco. Hoje entendo o quanto fui teimoso e fraco. Deveria ter escutado mais você.
No princípio, fiquei perdido. Não sabia o que havia acontecido. Me revoltei com vocês todos, quis me vingar, até que alguém me encontrou e me resgatou. E hoje estou aqui, recuperado, com algumas sequelas, é claro. Mas, nada que o estudo não possa recuperar de vez.
Espero a chance de poder voltar um dia e poder rever tudo o que teimosamente não conclui.

 
Um abraço de seu cunhado.


*     *     *
 
Mãezinha, me desculpe!
Eu não morri afogado, eu só precisava estar no mar, pois é um lugar maravilhoso e dos quais sempre tive medo por ser tão magnifico.
Mãe, aqui tudo é tão belo e diferente. Encontrei o vô Joaquim e ele me levou a observar tudo e a visitar novas ideias e a estudar. Aqui tudo é grande e tudo em ordem. Gosto de estar aqui. Vim apenas para acalmar seu coração, estou em paz.
Deus te abençoe minha mãe. Obrigado por ter cuidado de mim quando estive aí. Em breve nos encontraremos.

 
João Marcelo



Carta enviada em 14 de janeiro de 2012

Nenzinha, não chore, pois, eu estou bem. Quando aqui cheguei, não sabia ao certo onde estava e nem o que tinha acontecido, porém, a tia Diná me encontrou e disse que a mamãe tinha me ajudado e que eu não me preocupasse com o que tinha acontecido. Por isto, estou lhe pedindo, não se preocupe e cuide das crianças, elas são sua responsabilidade, pois, eu tinha apenas que colocar, quer dizer, trazer para você, visto que você não podia trazê-los. Mais que foi você que pediu por eles, para amá-los, visto que são seus.
Desculpe, eu não ter aceitado o seu convite naquele dia, é que eu tinha que vir.
Te amamos e estamos sempre com você, não se preocupe, nunca você está sozinha. Quanto ao Caio, ele ainda vai lhe dar todo o orgulho de filho que você sempre quis para ele. É que nem sempre aceitamos a maneira das coisas.
Até a próxima vez


Sem assinatura
Carta enviada em 14 de janeiro de 2012

Mãezinha,
Não se culpe, aquele aborto estava nas linhas da minha melhoria espiritual. Sei que você pensa que me prejudicou, porém, tudo só acontece com a devida liberdade e aprovação do Senhor da vida. Não pense que você foi a culpada e que papai tem a ver com isto por ter concordado com você. É que ele tinha que me ajudar a cumprir com o momento de libertação.


Anônimo 


Carta enviada em 14 de janeiro de 2012

Obrigado meu Deus pela oportunidade que estais me dando de poder me comunicar com os meus.
Fico feliz em poder dizer-lhes que estou bem e já posso trabalhar. Ora, quantas vezes eu disse que depois que nós morrêssemos, descansaríamos eternamente. Hoje vejo que não é bem assim, aqui continuo trabalhando e estudando. Tudo é muito belo, organizado, lindo! Tenho horário para tudo. Minha adaptação foi lenta, mas, consegui vencer e vendo que a cada dia continuo na batalha da evolução, isso me fortalece.
Gostaria de poder ajuda-los, mas, porém, ainda não posso.
Amo todos vocês.
Um grande beijo,


César Afonso

 

 Carta enviada em 4 de janeiro de 2012

Avisa para meu pai que tudo ficará em paz. Quando tudo melhorar, voltarei para busca-lo. Avisa para Justina que já me vou em paz, não mais estou aqui para atentá-la ou para busca-la.
Gratidão aqui vos deixo e rogo ao meu pai para que todos fiquem em paz.

Coralina


Um comentário:

  1. Estou encantada com o blog. Que lindo trabalho vocês tem ai em Parnaíba, parabéns.
    Como Deus é maravilhoso, em permitir tao linda caridade!
    Quando puder irei visita-los.
    Abraço fraterno!
    Keyla Sorene
    keylasorene@hotmail.com

    ResponderExcluir